Produtor de Orgânicos

Qualidade de beterraba orgânica e convencional no Vale do São Francisco

RuimRegularBomÓtimoExcelente(Dê sua opinião sobre essa matéria)
Rio, 27 de dezembro de 2012.

A beterraba (Beta vulgaris L.) é uma cultura bastante exigente em termos nutricionais, requerendo um programa de adubação equilibrado, capaz de repor os nutrientes extraídos a fim de evitar o esgotamento do solo. Tendo em vista que o uso de adubação orgânica possibilita o equilíbrio do sistema de produção, este trabalho objetivou avaliar os aspectos de qualidade de beterraba produzidas em sistemas orgânico e convencional. Os ensaios de campo foram conduzidos na horta agroecológica do IF SERTÃO-PE, Campus Petrolina, Zona Rural. O experimento utilizou blocos casualizados compostos por dois tratamentos: orgânico e convencional, e três repetições. Após a colheita, os tubérculos foram avaliados quanto ao teor de sólidos solúveis, pH, acidez titulável e relação SS/AT. Determinou-se o padrão mínimo de qualidade através da classificação dos tubérculos. Os dados foram submetidos à análise de variância, e as médias comparadas pelo teste de Tukey (5%). Beterrabas ‘E. wonder’ foram influenciadas quanto ao teor de sólidos solúveis pelo manejo orgânico.

Os resultados mostraram que no sistema convencional, 40% dos tubérculos apresentaram danos por murchamento e lesões que expõem a polpa da raiz, enquanto no sistema orgânico, o percentual de danos por podridão, murchamento e rachadura mecânica foi de 20%. Não houve influência dos sistemas de manejo na classificação dos tubérculos.

CI Orgânicos – Paula Guatimosim
Acessado em: 22/11/2012

Conteúdo completo disponível em:
http://connepi.ifal.edu.br/ocs/index.php/connepi/CONNEPI2010/paper/viewFile/1656/11

COSTA, M.F.S.; GAMA, J.B.; GOMES, E.C.S.; LIMA, J.S.; NASCIMENTO, S.S.; WALFREDO, L.S. Qualidade de beterraba produzida em sistema orgânico e convencional no Vale do São Francisco. IF SERTÃO-PE. Petrolina, 2010.

Deixe o seu Comentário:

Boletim de notícias

Cadastre-se e receba novidades.