Consumidor de Orgânicos

Do gerenciamento da produção à gestão da distribuição de produtos hortícolas orgânicos

RuimRegularBomÓtimoExcelente (Dê sua opinião sobre essa matéria)
Rio, 21 de setembro de 2012.

Resumo:

O presente trabalho irá apontar as estratégias adotadas na distribuição dos produtos orgânicos certificados no Brasil, através do estudo de caso do Sítio “A Boa Terra”, escolhido devido a sua grande representatividade no mercado em que atua. Mostra que o desenvolvimento do mercado passa, necessariamente, pelo aumento da produção e do apoio logístico, principalmente na distribuição e no fluxo de informações que possibilitem a chegada do produto até o consumidor final, em quantidade e variedade satisfatórios.

O Sítio “A Boa Terra”, propriedade de 24 hectareslocalizada no município de Casa Branca (SP), é umas das principais empresas de distribuição de produtos orgânicos no país. Certificada pelo IBD, oferece uma ampla variedade de hortaliças, legumes e alguns tipos de frutas. A distribuição ocorre por diferentes formatos de varejo tais como super e hipermercados, cujo setor de FLV (frutas, legumes e verduras) hoje, no Brasil, responde por cerca de 10 a 13% e 8 a 9%, respectivamente, do faturamento destes; feiras, que foram as primeiras a ofertar os produtos orgânicos; e lojas de produtos naturais, que possuem uma pequena participação na comercialização de orgânicos in natura.

Seus fornecedores (46 produtores) são autônomos, independentes, ou vinculados à Associação de Produtores ATRAI, não existindo um contrato formal entre as partes, porém, com a preocupação para que isso ocorra futuramente. Todos os produtos são entregues na propriedade pelos próprios produtores e classificados no local. Do total das vendas do Sítio, 70% são voltadas ao grande varejo, cujos pedidos são realizados diretamente à empresa através de software. Os produtos não vendidos são descartados e substituídos pela distribuidora, sem custo adicional, existindo um contrato formal entre as partes que estabelece essas e demais condições de fornecimento. Do restante das vendas, 20% são das cestas entregues em domicílio e 10% das feiras e lojas de produtos naturais.

CI Orgânicos, Vanessa Werneck
Acessado em: 19/12/2011

Conteúdo completo disponível em: http://www.abepro.org.br/biblioteca/ENEGEP2001_TR72_0839.pdf

SOUZA, A.P.deO.; ALCÂNTARA, R.L.C., CUNHA, P. Do gerenciamento da produção à gestão da distribuição de produtos hortícolas orgânicos: um estudo de caso. In: Encontro Nacional de Engenharia de Produção, 2001. Salvador. Anais… ABEPRO, 2001.

Deixe o seu Comentário:

Boletim de notícias

Cadastre-se e receba novidades.