Produtor de Orgânicos

Desempenho do consórcio alface-beterraba sob sistema orgânico

RuimRegularBomÓtimoExcelente (Dê sua opinião sobre essa matéria)
Rio, 19 de dezembro de 2012.

 

foto: CI Orgânicos

O objetivo do trabalho foi avaliar o desempenho dos consórcios de olerícolas cultivados em diferentes densidades populacionais, sob sistema orgânico de produção. Foram instalados dois experimentos de consórcio alface-beterraba, em duas regiões com condições edafoclimáticas diferentes (Região Médio Serrana e Baixada Fluminense), no Estado do Rio de Janeiro. Em ambos, o delineamento experimental foi de blocos ao acaso e os tratamentos constaram dos respectivos monocultivos e quatro diferentes densidades populacionais, de cada par de olerícola estudada, com quatro repetições. Com base nos resultados obtidos, concluiu-se pela viabilidade da aplicação das práticas de consórcio entre alface e beterraba, em sistema orgânico de cultivo.

Constatou-se não apenas suas capacidades técnico-produtivas, mas, também, sua viabilidade comercial. Observou-se, além da economicidade, que o consórcio em sistema orgânico poupa insumos importados e poluidores, é de elevado conteúdo social, pois absorve grande contingente de mão de obra. Em todos os arranjos estudados, nas duas localidades, a consorciação dessas culturas mostrou eficiência superior na utilização da terra, em comparação ao monocultivo.

A cultura da alface evidenciou possibilidades de participar como cultura principal no consórcio com a beterraba, quando se torna mais viável economicamente.

CI Orgânicos, Paula Guatimosim
Acessado em: 10/12/2012

Conteúdo completo disponível em: http://www.sober.org.br/palestra/5/320.pdf

ABBOUD, A. C. de SOUZA.; MACEDO, M. A. da SILVA.; SOUZA. C. G.; SOUZA. J.P. UFRURAL. Desempenho agroeconômico do consórcio alface-beterraba sob sistema orgânico. Rio de Janeiro.

 

Deixe o seu Comentário:

Boletim de notícias

Cadastre-se e receba novidades.