Consumidor

Agroecologia e consumo sustentável

RuimRegularBomÓtimoExcelente (Dê sua opinião sobre essa matéria)
Rio, 1 de setembro de 2013.

6140414589_b63e2f9327_b

Por Fernando Passos dos Santos, Leila Chalub-Martins – UnB

O artigo analisa e qualifica o aprendizado de consumidores e produtores na prática econômica agroecológica como alternativa ao consumo convencional. O estudo de caso considerou o grupo de consumo coletivo de produtos agroecológicos “Trocas Verdes”, de Campinas (SP), no contexto da agricultura familiar no Brasil. Os resultados mostraram que as trocas econômicas são também trocas de saberes e uma práxis em educação ambiental, nas três dimensões da sustentabilidade: econômica, social e ambiental.

A partir da metodologia da pesquisa participante, observou-se que a venda direta de produtos agroecológicos a grupos de consumidores organizados também representa uma prática econômica e um processo de educação ambiental crítica. O aprendizado coletivo amplia-se para outras duas finalidades: a prática do consumo consciente e do comércio justo. O estudo confirma que um importante fator para a existência de comunidades aprendentes é a autogestão da organização social.

Conclui-se que a autogestão para o consumo coletivo agroecológico, como proposta emancipatória e pedagógica, é uma prática econômica sustentável, economicamente vantajosa, tanto aos fornecedores quanto ao grupo de consumo, além de agregar o fator educativo, que exige certos conhecimentos para exercer a crítica ao modelo de consumo convencional.

Leia o artigo: agroecologia-Passos-Chalub

Deixe o seu Comentário:

Boletim de notícias

Cadastre-se e receba novidades.