Produtor de Orgânicos

Evapotranspiração e coeficientes da beterraba sob cobertura morta

RuimRegularBomÓtimoExcelente (Dê sua opinião sobre essa matéria)
Rio, 9 de fevereiro de 2013.

 

foto: CI Orgânicos

As práticas agrícolas que maximizam a produtividade e o uso da água são de vital importância para a agricultura. O estudo testou três tipos de manejo do solo com objetivo de determinar a evapotranspiração (ETc) e os coeficientes de cultivo (kc) da beterraba. Os tipos de manejo conduzidos em área experimental do SIPA (Sistema Integrado de Produção Orgânica) localizado em Seropédica (RJ) foram a utilização de coberturas mortas vegetais, denominadas capim cameroon (Pennisetum purpureum), gliricídia (Gliricidia sepium) e solo sem cobertura morta.

Concluiu-se que o uso da cobertura do solo com gramínea ou leguminosa minimiza de forma expressiva a demanda hídrica da cultura da beterraba (Beta vulgaris). A evapotranspiração da cultura foi expressivamente infe­rior (53% em média) quando foram utilizadas coberturas mortas de capim cameroon ou gliricídia no solo. Os resultados mostram a importância do uso de coeficientes de cultura locais e adequados ao tipo de manejo do solo adotado, o que contribui para o melhor uso da água de irrigação.

CI Orgânicos – Paula Guatimosim
Acessado em: 11/01/2013

beterraba

Conteúdo completo disponível em:
http://www.abhorticultura.com.br/Revista/Revista_29_3/PE_2070.pdf

OLIVEIRA, D.H.N. et al.  Evapotranspiração e coeficientes de cultivo da beterraba orgânica sob cobertura morta de leguminosa e gramínea. Horticultura Brasileira, v. 29, n. 3. Brasília, 2011.

 

Deixe o seu Comentário:

Boletim de notícias

Cadastre-se e receba novidades.