Produtor de Orgânicos

Doenças da laranja ‘Valência’ e caracterização da população fúngica

RuimRegularBomÓtimoExcelente(Dê sua opinião sobre essa matéria)
Rio, 13 de março de 2013.

 

foto: CI Orgânicos

Com o objetivo contribuir para a produção de alimentos saudáveis, produzidos sem agroquímicos que atendam à demanda crescente , o trabalho caracterizou as doenças pós-colheita em laranjas ‘Valência’ provenientes de cultivos orgânico e convencional; caracterizou a micoflora ambiental nos pomares citrícolas e detectou a presença de isolados de Penicillium spp. resistente aos fungicidas tiabendazol e imazalil nos pomares. Os frutos coletados nos pomares e no mercado atacadista (CEAGESP) de São Paulo foram armazenados durante 14 dias a 25ºC e 85% de UR. A incidência de doenças foi avaliada visualmente a cada dois,três dias. A micoflora ambiental foi amostrada com placas de Petri, contendo meio batata-dextrose-ágar, acrescido ou não dos fungicidas. As maiores incidências de doenças foram observadas nas laranjas orgânicas em relação as do sistema convencional. A principal doença detectada foi a podridão peduncular de lasiodiplodia. A micoflora total do ambiente, assim como os principais gêneros fúngicos não diferiram significativamente entre os pomares amostrados. Cladosporium foi o gênero fúngico mais abundante nos pomares. A frequência de isolados de P. digitatum resistentes a tiabendazol foi semelhante nos pomares, com média de 47,3% dos isolados. A frequência de isolados de P. digitatum resistentes a imazalil foi baixa (2,6%), não sendo constatados isolados resistentes a tiabendazol + imazalil.

CI Orgânicos – Paula Guatimosim
Acessado em: 30/01/2013

Conteúdo completo disponível em:

http://www.scielo.br/pdf/tpp/v36n6/08.pdf

FISCHER, I.H.;ZANETTE, M.M.; SPOSITO,M.B.; AMORIM, L. Doenças pós-colheita em laranja ‘Valência’ e caracterização da população fúngica em pomares orgânicos e convencionais. APTA/ ESALQ. Bauru/Piracicaba, 2011.

Deixe o seu Comentário:

Boletim de notícias

Cadastre-se e receba novidades.