Consumidor

Frutas e vegetais estão entre os alimentos mais desperdiçados do mundo

RuimRegularBomÓtimoExcelente
Rio, 10 de Maio de 2018.
Foto: Sylvia Wachsner (CI Orgânicos/OrganicsNet)

O departamento sub-regional da América Central da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) defendeu que a fruticultura contribui para a segurança alimentar e nutricional, para um desenvolvimento rural mais sustentável e inclusivo e, também,  para combater a pobreza.

A agência especializada da ONU fez referência, nesse contexto, a necessidade de impulsionar políticas diferenciadas e articuladas entre setores que promovam a fruticultura.

“Apostar no fortalecimento do setor frutícola, ao qual se dedicam milhares de agricultores familiares, é apostar na criação de emprego rural decente e inclusivo e na criação de novas formas de empreendimento”, afirmou numa declaração pública o coordenador sub-regional da FAO para a América Central, Tito Díaz.

O organismo das Nações Unidas sustentou que promover “o empreendedorismo relacionado com atividades como o processamento de fruta, por exemplo, pode beneficiar grupos que costumam ter menos oportunidades, como as mulheres e os jovens, contribuir para criar valor acrescentado à produção e reduzir as perdas e o desperdício de alimentos, de que as frutas e os vegetais constituem quase 55%”.

Nesse sentido, a FAO indicou que, ao nível da venda direta ao consumidor, na América Latina e nas Caraíbas são desperdiçados alimentos suficientes para satisfazer as necessidades calóricas de mais de 36 milhões de pessoas, ao mesmo tempo que existem na região 42,5 milhões de pessoas que ainda padecem de fome.

“A FAO apoia os países da América Central e a República Dominicana na formulação de políticas diferenciadas e articuladas que fortaleçam os pequenos produtores e contribuam para a diversificação agrícola, o acesso a mercados e a coordenação entre setores, bem como a combater as perdas e o desperdício como uma estratégia para lutar contra a fome, a pobreza e todas as formas de subnutrição”, frisou a organização.

De acordo com dados de um relatório conjunto da FAO e da Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial de Saúde (OPS/OMS), o excesso de peso e a obesidade são problemas crescentes na América Latina e nas Caraíbas e já afetam mais de metade da população adulta e 7% das crianças com menos de cinco anos.

“As frutas fazem parte de uma dieta saudável e contribuem para combater o excesso de peso e a obesidade: por serem uma fonte importante de vitaminas e minerais, fortalecem o sistema imunológico, melhoram a digestão e ajudam a reduzir o risco de doenças como o cancro e a diabetes. A crescente procura de frutas a nível mundial corresponde, em boa medida, a uma maior consciência dos seus benefícios”.

Fonte: Mundo ao Minuto

Deixe o seu Comentário:

Boletim de notícias

Cadastre-se e receba novidades.