Produtor de Orgânicos

Subvenção de orgânicos no Brasil e na UE

RuimRegularBomÓtimoExcelente (Dê sua opinião sobre essa matéria)
Rio, 30 de abril de 2013.
Supermercado Denns, Alemanha, foto: CI Orgânicos

O artigo coloca em discussão a comercialização dos produtos cítricos orgânicos no país, a partir de um comparativo entre Brasil e União Europeia, sob a ótica da Visão Baseada em Recursos (RBV). A fundamentação teórica parte de uma explanação acerca do mercado europeu e brasileiro de orgânicos cítricos, com base na teoria da RBV. De natureza qualitativa, o estudo se caracteriza por pesquisas exploratórias através da leitura de jornais, artigos e também por visitas de campo a propriedades rurais e a uma cooperativa de produtos orgânicos. Com base nos dados coletados, a análise e a discussão dos resultados busca responder à questão-chave da pesquisa: a comercialização brasileira de cítricos orgânicos deve ser voltada para o mercado interno ou para a União Europeia? Considerando os pressupostos da RBV, conclui-se haver desvantagem competitiva para o agricultor brasileiro que exporta para o mercado europeu em relação aos produtores de cítricos orgânicos da União Europeia. Recomenda-se, portanto, que as estratégias dos produtores brasileiros de orgânicos devem ter como foco principal o mercado interno para a comercialização de seus produtos.

CI Orgânicos – Paula Guatimosin
Acessado em: 23/04/2013

Veja o artigo completo: subvencao-organicos-UE-Brasil
Conteúdo completo disponível em:
http://ageconsearch.umn.edu/bitstream/117275/2/315.pdf

PEREIRA, P.R.; ABICHT, A.M.; CEOLIN, A.C.; CORRÊA, A.F.; SILVA, T.N. A subvenção de orgânicos no Brasil e na União Europeia sob a ótica da visão baseada em recursos. UFRGS, Rio Branco, 2008.

 

Deixe o seu Comentário:

Boletim de notícias

Cadastre-se e receba novidades.