Produtor de Orgânicos

Acaricidas na citricultura: manejo da leprose e ácaros fitoseídeos

RuimRegularBomÓtimoExcelente (Dê sua opinião sobre essa matéria)
Rio, 2 de março de 2013.

 

foto: CI Orgânicos

O objetivo do experimento, instalado em pomar de laranja no município de Reginópolis (SP), foi avaliar, durante quatro safras, os efeitos de acaricidas indicados para o controle do ácaro Brevipalpus phoenicis em citros convencional e orgânico sobre a evolução da leprose dos citros e sobre ácaros fitoseídeos. No Estado de São Paulo, esse controle é realizado quase exclusivamente com aplicações de acaricidas, que colaboram para o aumento dos custos de produção e podem afetar negativamente as populações de organismos benéficos. Constatou-se que o local das lesões no fruto é mais importante para determinar sua queda do que o número de lesões. Quanto mais intensa a infestação do ácaro B. phoenicis, maior o número de lesões de leprose, resultando em maior queda prematura de frutos. Os acaricidas spirodiclofen e cyhexatin e spirodiclofen em rotação proporcionaram controle mais eficiente de B. phoenicis, em relação à calda sulfocálcica, resultando em maior produtividade, menores perdas de frutos e nos menores níveis de severidade da leprose. As aplicações de calda sulfocálcica reduziram os níveis populacionais do ácaro B. phoenicis abaixo do nível de controle, porém não evitaram o surgimento de lesões de leprose. As aplicações dos acaricidas apresentaram efeito nocivo sobre os ácaros fitoseídeos, pois houve redução da densidade populacional.

CI Orgânicos – Paula Guatimosim
Acessado em: 30/01/2013

ACARICIDAS-UTILIZADOS-NA-CITRICULTURA

Conteúdo completo disponível em:
http://www.scielo.br/pdf/rbf/v32n4/aop15210.pdf

ANDRADE, D.J. de; OLIVEIRA, C.A.L. de; PATTARO, F.C.; SIQUEIRA, D.S. Acaricidas utilizados na citricultura convencional e orgânica : manejo da leprose e populações de ácaros fitoseídeos. FCAV/UNESP. Jaboticabal, 2010.

Deixe o seu Comentário:

Boletim de notícias

Cadastre-se e receba novidades.