Produtor de Orgânicos

Programa Sebrae Inteligência Setorial oferecerá informações estratégicas para o setor de alimentos

RuimRegularBomÓtimoExcelente (Dê sua opinião sobre essa matéria)
Rio, 23 de fevereiro de 2015.
imagem sebrae
Três segmentos da cadeia serão beneficiados: “Agroindústria e bebidas artesanais”, “Alimentação fora do lar” e “Produção, abastecimento e distribuição”

O Sebrae Inteligência Setorial, portal que já oferece informações estratégicas gratuitas beneficiará três diferentes segmentos da cadeia de alimentos: “Agroindústria e Bebidas Artesanais” (cachaça, laticínios, cervejas artesanais e cafés especiais); “Alimentação fora do lar” (bares e restaurantes, panificação e confeitaria); e “Produção, Abastecimento e Distribuição” (centros de distribuição como Ceasa, Cadeg, Mercado São Sebastião e Mercado São Pedro). Desenvolvido pelo Sebrae/RJ (Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Estado do Rio), o programa já atende os setores de construção civil, moda, turismo e petróleo & gás do Rio de Janeiro.

A previsão é que o conteúdo sobre o setor de alimentos esteja disponível para consulta no portal a partir da segunda quinzena de maio. Segundo o gerente de conhecimento e competitividade do Sebrae/RJ, Cezar Kirszenblatt, este segmento possui uma cadeia extensa, que abrange desde a produção, distribuição, até chegar à ponta, os consumidores. “A cadeia tem grande importância no Rio, principalmente porque termos uma extensa rede de bares, restaurantes e hotéis. A gastronomia também tem se destacado com a geração de novos negócios e ganhado maior popularidade por meio de feiras e eventos”.
“Agroindústria e bebidas artesanais”

Dentro do segmento de agroindústria, o portal abordará temas relacionados à produção de cachaça, laticínios, agroecologia, orgânicos, cafés especiais e bebidas artesanais. Segundo o engenhero agrônomo e consultor Aly N Diaye, é importante valorizar e dar suporte aos produtores rurais, que são a origem de toda a cadeia de alimentos: “Algumas questões são elementares, mas o produtor, na maioria das vezes, não tem acesso, ou não sabe onde buscar informações como, por exemplo, a legalização fundiária, o uso de novas tecnologias e processos, tendências do mercado e a própria gestão, muitas vezes feita sem visão empresarial. É preciso estimular a criação de redes de produtores para facilitar o fluxo de informações e fortalecer a classe”. Para ele, o conteúdo oferecido pelo programa de inteligência setorial “vai suprir uma demanda antiga de informações sobre o setor”.

Embora não seja o maior produtor de cachaça, o estado do Rio de Janeiro é o segundo maior exportador do produto, e possui o maior número de cachaças certificadas pelo Inmetro. Das 33 marcas nacionais certificadas em todo o Brasil, dez são do Rio. No entanto, segundo a produtora e presidente da Associação dos Produtores e Amigos da Cachaça do Estado do Rio de Janeiro (Apacerj), Katia Alves, ainda são muitos os desafios. “A cachaça produzida no Rio tem conquistado reconhecimento nacional e internacional com importantes premiações, mas enfrentamos algumas dificuldades como a falta de mão de obra qualificada e canais de distribuição dentro do estado e em todo o Brasil. O programa é uma oportunidade excelente para atender à necessidade real dos produtores de cachaça por informação especializada”, afirma.

“Alimentação fora do lar”

Com o mercado de gastronomia aquecido, o Rio de Janeiro tem expandido sua rede de bares, restaurantes, panificadoras e confeitarias. No entanto, as demandas do setor, segundo Darcilio Junqueira, superintendente do Sindicato de Hotéis, Bares e Restaurantes do Rio de Janeiro (Sind Rio), são diversas. “A falta de mão de obra é, sem dúvida, a principal dificuldade, mas outras demandas de gestão também são relevantes como a falta de planejamento e pesquisa de público e localização para o negócio”, explica.

Junqueira acredita que o programa vai oferecer ao empresário do setor informações que vão ajudá-lo a gerir seu negócio. “Hoje não basta apenas treinar o funcionário, o gestor também precisa se qualificar. A cultura empresarial está mudando. O empresário tem participado mais de discussões, buscado mais informações. É importante ter uma fonte confiável e direcionada para esses empreendedores”.

Para Dênis Knauth, proprietário de um bar especializado em culinária mineira, a falta de mão de obra é um problema real e corriqueiro para quem oferece serviços de alimentação fora do lar. “A rotatividade é muito alta e falta gente qualificada no mercado, que tenha agilidade e habilidade no atendimento do público. Principalmente para o empresário que ainda está estruturando seu negócio, como é o meu caso, é fundamental ter acesso à informações sobre gestão, fornecedores e qualificação. O conteúdo do portal será muito útil”, afirma.

“Produção, abastecimento e distribuição”

Boa parte da produção de hortifrutigranjeiros, pescados e orgânicos do estado do Rio de Janeiro é direcionada aos grandes centros de abastecimento e distribuição como o Ceasa, Cadeg, Mercado São Sebastião e o Mercado São Pedro. Segundo Roberto Mattar, superintendente da Superintendência Fazendária da Agricultura do Rio de Janeiro (SFA-RJ), entidade ligada ao Ministério da Agricultura, este segmento atua, muitas vezes, informalmente e precisa suporte em gestão e logística.

“É preciso mapear quem são os distribuidores e/ou os atravessadores finais, que entregam o produto nos bares e restaurantes, para otimizar a logística de entregas. Os processos de armazenamento e segurança alimentar também são, muitas vezes, desconhecidos desses empresários. Além de outras questões, como falta de planejamento, definição de preço e oportunidades de contratos governamentais”, explica.

Construção colaborativa

Durante três workshops com a presença de empresários do ramo de alimentos e representantes de entidades, associações, sindicatos e instituições parceiras do Sebrae/RJ, foram definidas, de forma colaborativa, as principais demandas do setor para comporem o “Mapa de Informações Estratégicas”. Entre os principais temas propostos para serem monitorados pela ferramenta de inteligência estão questões relacionadas à legislação do setor de alimentos, mercado, gestão, políticas públicas, mão de obra, fornecedores e ambiente tecnológico.
Os temas relevantes serão monitorados, organizados e validados por especialistas do setor, e transformados em produtos de Inteligência (boletins, alertas de oportunidades e ameaças, notícias relevantes, relatórios de tendências e cases de sucesso). Também haverá dicas sobre como usar, na prática, as informações estratégicas para melhorar a gestão e alavancar os negócios. Os setores estratégicos de base tecnológica e economia criativa, com os quais o Sebrae/RJ atua, serão os próximos atendidos pelo programa de forma gradativa.

Os produtos de inteligência:

Mapa de Informações Estratégicas – mapeamento das necessidades de cada setor a partir de temas sugeridos pelos empresários e entidades. Todos os tópicos e temas são organizados e conectados. Esse produto é atualizado periodicamente e adaptado às novas demandas.

Boletim de Tendência – Apresenta análises preditivas sobre os temas e tópicos encontrados no Mapa de Informações Estratégicas de cada setor monitorado pelo programa. São utilizados métodos de análise estratégica para identificar tendências e oportunidades de mercado.

Alertas – disparo instantâneo de notícias consideradas de grande impacto e que possam gerar novas oportunidades de mercado ou alertar possíveis ameaças. O conteúdo é enviado via SMS e e-mail apenas para usuários que, no momento do cadastro, optarem por receber esse produto.

Notícias de Impacto – seleção de notícias relevantes e de demandas específicas dos setores e seus segmentos, de acordo com os temas e tópicos propostos no Mapa de Informações Estratégicas. As notícias são monitoradas diariamente em mídias nacionais e internacionais.

Relatórios de inteligência – são de dois tipos: o mensal e o trimestral. No mensal são feitas análises aprofundadas sobre os temas apresentados no Mapa de Informações Estratégicas. O trimestral aprofunda conteúdos abordados nas Notícias de Impacto mais acessadas/relevantes no Portal nos três últimos meses.

Cases de sucesso – relato de casos reais de empresários de micro e pequenas empresas que utilizaram os benefícios das informações estratégicas para aumentar a competitividade do seu negócio.

Fonte: Sebrae

Notícias relacionadas:

Avanço da indústria de orgânicos nos EUA impõe novos desafios

Paraná produz 140 mil toneladas de produtos orgânicos por ano

Jovens empresários ampliam mercado de orgânicos com produtos inovadores

CONHEÇA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK E TWITTER

Deixe o seu Comentário:

Boletim de notícias

Cadastre-se e receba novidades.