Consumidor de Orgânicos

Certificação como uma maneira de diferenciar os produtos, criar valor, diferenciar a marca do produtor e dar transparência

RuimRegularBomÓtimoExcelente (Dê sua opinião sobre essa matéria)
Rio, 13 de janeiro de 2021.

ecocert-logo

 

Ao contrário do que muita gente pensa, a Produção e certificação de Produtos orgânicos promove e muito a inovação.

 Abaixo algumas considerações e exemplos que mostram o quanto este tipo de Produção pode ser inovadora.

 Entendendo aqui que a inovação pode ser a comumente e mais popular, que tem a ver com avanços tecnológicos (tecnologias de automação, softwares, aplicativos, drones, etc), as quais são interessantes e por outro, a inovação advinda do rearranjo do Sistema produtivo, incorporando técnicas e experiências que resultam num processo produtivo mais eficiente e mais lógico, mais harmônico com a natureza propria do meio ambiente, solo, fauna e flora.

 A inovação começa ainda na criação da Lei de orgânicos Brasil Lei 10.831/03, que incorpora lá em 2003 e posteriormente 2011 (quando entram em vigor as respectivas instruções normativas), critérios de avaliação sócio-ambientais, da Saúde do homem (produtor e consumidor), de bem estar animal, dentre outros. Estes critérios passam a ser trabalhados de forma sistêmica dentro da Produção orgânica.

 Além disso, o  DNA da Produção e certificação de orgânicos está na rastreabilidade de todo o processo (desde os insumos e sementes, até o produto final). Atualmente essa questão é bastante promovida, basta ver a profusão de possibilidades de uso do QR Code para buscar informações sobre a cadeia produtiva dos Produtos por parte do consumidor.

Isso sempre fez parte da preocupação da Produção orgânica, por definição, desde sua criação.

 Outro ponto bastante inovador do ponto de vista gerencial é trazer para dentro da propriedade e realidade do produtor orgânico os aprendizados e práticas da Qualidade, de melhoria continua. Quando uma não-conformidade é detectada numa auditoria, o produtor ou empresa deve sanar e ajustar aquele problema e propor medidas preventivas, para que o problema não volte a ocorrer. Isto estimula uma abordagem nova para o negócio rural, ao proporcionar ao produtor o conhecimento e monitoramento efetivo de sua Produção (com maior conhecimento sobre seu processo, maiores as chances de melhorar o planejamento, otimizar recursos, atrair sócios ou investidores; expandir suas fronteiras e canais de vendas…) e criar diferenciação de alto valor agregado.

 A Produção orgânica inova ao adotar práticas em linha com a economia circular.

Exemplo disso? A Produção propria de bioinsumos por centenas de Produtores Brasil afora, que utilizam, por exemplo, de residuos gerados da propria lavoura para produzir compostos e adubos que retroalimentam a produção, gerando economia e produtividade, com rotação de culturas e aproveitamento do solo de forma inteligente, usando o próprio Ciclo produtivo e complementaridades entre diferentes culturas.

 A Produção e certificação organica inova ao adotar o conceito de transversalidade. Um produtor atualmente orgânico pode, com maior ou menor adaptação, buscar a validação e chancela para outros protocolos sustentáveis como por exemplo o de Comércio justo, globalgap, rainforest alliance, etc… Além disso, ele pode transitar inclusive de um setor á outro. Exemplo: um produtor de açaí orgânico para consumo humano, pode ajustar sua planta produtiva para, a partir dessa MP orgânica Certificada, passar a fornecer o açaí como MP natural e orgânica para uso na indústria cosmética, que busca fornecedores certificados como orgânico e/ou natural.

 A Produção orgânica não seria uma inovação disruptiva mas sim e não menos importante, apresenta um nivel de inovações incrementais muito forte. Exemplo disso é o caso dos bioinsumos mencionados acima mas principalmente, no caso dos equipamentos e máquinas agrícolas. Como no caso em que a necessidade é a mãe da invenção, centenas de produtores orgânicos no Brasil estão adaptando ferramentas e maquinário que tradicionalmente foram forjados para atender a agricultura convencional, para a realidade da produção agroecológica.

Muitos vão além, não só adaptando mas criando novas ferramentas e máquinas que se adaptam a Produção orgânica, ou seja, inovação!

 Devido ao modelo concebido no qual está inserida a produção orgânica, o ambiente é muito favorável para a criação de soluções múltiplas, em geral adotado por boa parte de pequenos e médios produtores e diversidade de culturas e mesmo de modelo de negócio a ser desenvolvido.

Agricultura inovadora e limpa, com consistentes ganhos de escala e mais importante, a mais simples e mais óbvia inovação possível: a Produção Orgânica carrega em si o instinto da auto preservação, quando cuida do seu bem maior, qual seja, a saúde do solo e assim garante sua perpetuação!

Alexandre Schuch de Oliveira,  Gerente Geral, Ecocert Brasil

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga no Instagram @ciorganicos

🌎 Principal fonte de inteligência sobre a cadeia produtiva de alimentos saudáveis e produtos orgânicos.

Boletim de notícias

Cadastre-se e receba novidades.