Produtor de Orgânicos

Análise energética produção de soja convencional e orgânica

RuimRegularBomÓtimoExcelente (Dê sua opinião sobre essa matéria)
Rio, 22 de janeiro de 2013.

Soja_1707

O ensaio foi realizado através da coleta de dados obtidos em duas fazendas localizadas no município de São Miguel do Iguaçu (PR), referentes às culturas de soja implantadas em sistemas orgânico (SO) e convencional (SC) safra 2003/2004. Os dados relacionados ao consumo e eficiência energética constituem poderosas ferramentas de diagnóstico de sistemas produtivos agrícolas. O objetivo do trabalho foi realizar uma análise energética comparativa entre os dois sistemas, observando: conversão energética; balanço energético e eficiência energética. O SC apresentou um valor de conversão energética de 7,81; superior ao encontrado no SO, cujo valor foi de 4,40. Em relação à eficiência energética, no SC foi de 130540,80 MJ.ha-1, sendo 41% superior ao SO. A avaliação do balanço energético no SO obteve um total de 41689,04 MJ.ha-1, enquanto o SC apresentou 113817,37 MJ.ha-1. A eficiência energética consumida pelo sistema para a produção de um hectare foi de 12254,44 MJ (orgânico) e 16723,43 MJ (convencional). O maior consumidor de energia no SO foi o fertilizante, com 5408,63 MJ.ha-1- 44,14% do total de energia consumida. Para o SC o herbicida gastou 8837,73 MJ.ha-1representando 52,85% da energia consumida. O componente biológico – mão-de-obra – participou com apenas 2,98% do total de energia inserida no SO e, com 1,08% no SC.

CI Orgânicos – Paula Guatimosim
Acessado em: 02/01/2013

analise-energetica-soja

Conteúdo completo disponível em: http://www.unicentro.br/editora/revistas/ambiencia/v5n3/artigo%205.pdf

ASSENHEIMER, A. CAMPOS, A.T. GONÇALVES JR, A.C.  Análise energética de sistemas de produção de soja convencional e orgânica. INAmbiência, v.5 n.3 . Guarapuava, 2009

Deixe o seu Comentário:

Boletim de notícias

Cadastre-se e receba novidades.