Produtor

Embrapa e Vitae Rural lançam inseticida biológico contra lagarta-do-cartucho

RuimRegularBomÓtimoExcelente (Dê sua opinião sobre essa matéria)
Rio, 6 de junho de 2017.
Embalagem do produto, apresentada durante o lançamento. Foto: Guilherme Viana

O CartuchoVIT, primeiro inseticida à base de Baculovirus spodopteralançado em maio, no município de Uberaba (MG), foi desenvolvido através de uma parceria entre a Embrapa Milho e Sorgo e o grupo Vitae Rural. O produto, que tem início de comercialização previsto para outubro, visando atender a safra 2017/2018, age contra a lagarta-do-cartucho (Spodoptera frugiperda).

Paulo Bittar, sócio proprietário da Vitae Rural, fala sobre o lançamento do novo produto. “O CartuchoVIT será vendido em lojas de varejo, acessível aos agricultores que plantam em pequenas áreas, ou por venda direta e em distribuidores, facilitando a comercialização para grandes produtores”.

Segundo a Embrapa, um dos maiores desafios enfrentados durante a fase de industrialização do CartuchoVIT foi tornar o inseticida ainda mais resistente à exposição da radiação ultravioleta. Recomenda-se que o produto seja aplicado na lavoura após às 16 horas, uma vez que a luz do sol destrói o baculovírus, tornando-o ineficaz contra a lagarta.

O sócio proprietário da Vitae Rural revela que a empresa já possui uma nova fórmula do produto, denominada “premium” pela equipe desenvolvedora. Essa nova versão seria voltada para mais proteção: “É um caminho de fórmula fechada, que temos que trilhar junto ao Ministério da Agricultura. Vamos fazer ainda a parte regulatória e acredito que dentro de três anos ofertaremos essa nova versão”, adianta Paulo Bittar.

Para o pesquisador Fernando Valicente, da Embrapa Milho e Sorgo, o desafio é disponibilizar o produto biológico no mercado, mantendo-o eficiente durante o seu tempo de exposição na prateleira. “Foram anos a fio de investimentos, de experimentos em laboratórios e em campos para tornar o produto viável. O balanço é altamente positivo, já que a cada ano presenciamos ataques mais agressivos da lagarta-do-cartucho e, consequentemente, quantidades maiores de inseticidas químicos sendo aplicados. Dessa forma, o baculovírus vem para dar um equilíbrio nesse contexto”, explica. “A Embrapa tem um papel fundamental na transferência dessa tecnologia. Aliada à capacidade produtiva do grupo Vitae Rural, a tendência é aumentar a produção para atender a demanda crescente nas fronteiras agrícolas do país”, completa o pesquisador.

De acordo com dados divulgados pela Embrapa, as avaliações de campo comprovaram a eficiência do produto, apresentando uma taxa de mortalidade estimada entre 75 e 95% das lagartas com até cinco dias de idade (com comprimento de até 1 cm).

Os sintomas do baculovírus no inseto começam com perda de apetite (podendo reduzir a alimentação da lagarta em até 93%), redução na mobilidade, descoloração do corpo e morte. Dentre os diferenciais da tecnologia, além da eficiência, estão o baixo número de aplicações (em geral duas) e a preservação de mananciais de água e de inimigos naturais da praga.

Assista ao vídeo de lançamento do CartuchoVIT

Fontes: Agrolink e Embrapa

Veja outras matérias similares:

A utilização de culturas mistas na Fazenda da Toca

Marcelo Morandi, chefe geral da Embrapa, fala sobre controle biológico

Campanha de controle biológico beneficia agricultores em Sagrada Família

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga no Instagram @ciorganicos

🌎 Principal fonte de inteligência sobre a cadeia produtiva de alimentos saudáveis e produtos orgânicos.

Boletim de notícias

Cadastre-se e receba novidades.