Produtor de Orgânicos

UE discute novo marco regulatório de orgânicos

RuimRegularBomÓtimoExcelente (Dê sua opinião sobre essa matéria)
Rio, 27 de novembro de 2017.
Foto: Sylvia Wachsner

A União Europeia (UE) pretende modificar o marco regulatório que rege a produção e a venda de produtos orgânicos no bloco. A expectativa é de que essas novas regras sejam aprovadas até o início do ano que vem e que modifiquem a regulação nº 834/2007. A confirmação do Parlamento deve ser votada até o mês de janeiro.

As negociações referentes à reforma política agrícola comum da Europa tiveram início em 2014. Nos países que integram o bloco, o setor orgânico apresentou um crescimento de 21% de 2010 a 2015.

Para 2020, a UE tem programado subsídios de até US$ 400 bilhões em todo o setor agrícola. Muitos estados-membros se mostraram céticos em relação à necessidade de mudança na lei de orgânicos, alegando que as regulações atuais possuem menos de 10 anos e que o setor precisaria de uma maior estabilidade.

As vendas de comida orgânica na Alemanha bateram um recorde em 2015 com valores girando em torno de US$ 9,6 bilhões. O mercado de orgânicos alemão é o segundo maior do mundo, ficando atrás apenas dos Estados Unidos. Segundo notícias divulgadas pela imprensa local, os alemães estariam retirando seu apoio à nova regulação, que passaria a valer em janeiro de 2021.

De acordo com o Departamento da Agricultura dos Estados Unidos (USDA), as novas regras devem ter impactos positivos, facilitando as importações de orgânicos dos Estados Unidos com a padronização de processos e a exigência de menos burocracia. O bloco importa, aproximadamente, US$ 9 milhões em produtos orgânicos americanos por ano.

Fonte: Agrolink

Deixe o seu Comentário:

Boletim de notícias

Cadastre-se e receba novidades.