Produtor de Orgânicos

Sustentabilidade: por que a produção e processamento de produtos orgânicos reúne as melhores condições para se investir?

RuimRegularBomÓtimoExcelente (Dê sua opinião sobre essa matéria)
Rio, 21 de setembro de 2020.
Coopernatural,  foto: CI Orgânicos.

Atualmente no cenário empresarial existem uma dezena de selos relacionados a sustentabilidade e que incorporam cada vez mais critérios sociais, ambientais, de segurança alimentar, dentre outros.

Esse é um movimento liderado pelos consumidores, que buscam e aderem a produtos que possuem este apelo e condição de produção dentro de suas cadeias produtivas, ou seja, o consumidor valoriza práticas empresariais tais como “combater o trabalho infantil, tratar funcionários sem discriminação, inclusão, contribuir  para o bem-estar da comunidade e oferecer boas condições de trabalho.

Atualmente são muitas as instâncias fiscalizatórias: as Certificadoras, o MAPA, o Inmetro, além do próprio consumidor através das Ouvidorias.

Outro ponto importante a ressaltar é o crescimento contínuo nos últimos 10 anos:

Além do fator crescimento constante, é um mercado com um potencial muito alto, principalmente considerando que as terras manejadas e certificadas orgânicas não chegam nem a 2% da área total agriculturável.

Também é importante considerar que a produção orgânica é primordialmente alimentar, porém pode ir muito além, se configurando como fonte de matéria-prima e ingredientes para a indústria cosmética, por exemplo; Indústria esta de valores bilionários e de cadeia produtiva muito extensa e diversa. Exemplo: você produz açaí orgânico para consumo alimentar e pode adaptar a produção para fornecer açaí para a indústria elaborar um shampoo com açaí ou derivados, o que dá mais alternativas de comercialização.

Outro fator importante é que o ponto chave para que um produto seja certificado e comercializado como orgânico é que exista uma rastreabilidade de todo o processo produtivo, desde seu início (semente, insumos usados, etc), o que está em perfeita sintonia com a tendência dos consumidores atuais que buscam cada vez mais informações sobre a origem do produto e seus ingredientes.

Quer outro bom motivo para investir em orgânicos? Como sua base de requisitos é bastante extensa (ambientais, sociais, de bem estar animal…), com relativa facilidade o produtor ou empresa consegue adicionar outros selos e cumprir outros protocolos específicos e assim acessar novos canais de vendas e consumidores. (certificações como a de Comércio Justo, Rainforest Alliance, Globalgap, dentre outras).

O mercado financeiro já começa a valorizar e recompensar empreendimentos através de “ratings” que levam em conta aspectos de sustentabilidade do negócio e o produto orgânico está inserido nele.

Mas tem mais, ao produzir de forma orgânica, existem aspectos dos critérios de avaliação da produção que levam em conta o meio ambiente, por exemplo, um produtor não pode ter sua produção certificada caso esteja desmatando ilegalmente, descumprindo normas ambientais ou mesmo poluindo um rio, ou seja, além de você e/ou sua empresa estarem fazendo a coisa certa, podem usar este argumento ambiental para o consumidor, argumento este que é chancelado pela emissão do certificado.

E então, vai ficar de fora?

Por Alexandre Schuch, formado em Economia com MBA em Negócios Internacionais e mais de 15 anos de experiência no setor.

Fonte: Food Connection

Deixe o seu Comentário:

Boletim de notícias

Cadastre-se e receba novidades.