Produtor

Consequências a longo prazo de neonicotinóides para abelhas e aves

RuimRegularBomÓtimoExcelente(Dê sua opinião sobre essa matéria)
Rio, 24 de outubro de 2014.
ABELHAS
foto: divulgação

Pesquisas recentes da CBC News estão avaliando de maneira cada vez séria as consequências de neonicotinóides em pássaros e abelhas, que estão causando mais danos que antes. Estão sendo buscados efeitos a longo prazo mais sutis dos inseticidas, substituindo mortes diretas e instantâneas. Nigel Raine, um especialista em conservação de polinizadores na Universidade de Guelph, descobriu que os neonicotinóides afetam a capacidade de localizar e coletar alimentos das abelhas. Quando se trata das aves, a questão é que os neonicotinóides estão acabando com os insetos aquáticos dos quais as aves se alimentam. Estudos publicados neste verão mostraram grandes quedas dessas aves em áreas com concentração maior da substância. Uma análise de 800 estudos lançados nesse verão, com nome em português de “Força-Tarefa de Pesticidas Sistêmicos”, concluiu que essa química está afetando de maneira ampla ecossistemas de todo o mundo, ao invés de atender apenas à sua função de acabar com pragas.

No Reino Unido, uma campanha destaca as ameaças enfrentadas por abelhas e incentiva todos a tomarem medidas para as proteger. A associação quer que todos os pesticidas neonicotinóides, amplamente utilizados na agricultura e em jardins domésticos, sejam banidos, assim promovendo uma agricultura amigável às abelhas. A associação tem como objetivo mostrar que todos podem fazer a diferença, simplesmente mudando seus hábitos de compras para ajudar a recuperar as populações de abelhas, garantindo que haja habitats domésticos e agrícolas favoráveis às abelhas em abundância, em todo o Reino Unido. Para mais informações, acesse o site (em inglês):

http://www.soilassociation.org/keepbritainbuzzing

Fonte: Organic Market

Notícias relacionadas:

Engenheiros agrônomos investem no controle biológico de pragas

“A transgenia está mudando para pior a realidade agrícola brasileira”.

CONHEÇA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK E TWITTER

Publicado em 24/10/2014

Deixe o seu Comentário:

Boletim de notícias

Cadastre-se e receba novidades.