Biodefensivos

Agricultura aprova dez novos defensivos biológicos e orgânicos

Agricultura aprova dez novos defensivos biológicos e orgânicos

Entre eles estão dois inéditos, informa o ministério: o feito à base de Heterorhabditis bacteriophora e de Hirsutella thompsonii. O primeiro é usado para controle da larva-alfinete, praga da batata. O segundo controlará o ácaro-rajado, praga que ataca soja, feijão, milho e algodão, além de frutas como morango, maçã, pera, uva, maracujá, melancia, abacaxi e cacau.

Biodefensivos com micróbios do solo e planta são o futuro

Biodefensivos com micróbios do solo e planta são o futuro

Favorecendo microrganismos, os processos biológicos passarão a ser cada vez mais intensivos. “O futuro, que na verdade a gente nem chama mais de futuro, já é o presente, são técnicas agrícolas que favoreçam os grupos de microrganismos que tem uma relação simbiôntica com a agricultura”. Essa é visão de Félix Gonçalves Siqueira, coordenador de projetos da Embrapa, para o futuro da defesa vegetal contra ameaças e pragas.

Boletim de notícias

Cadastre-se e receba novidades.