pesquisar

palavra-chave:

arquivo
    dezembro 2017
    S T Q Q S S D
    « out    
     123
    45678910
    11121314151617
    18192021222324
    25262728293031

Opinião

Voltar

Apesar do crescimento, setor orgânico ainda enfrenta desafios

Feira orgânica no Village Mall, Barra da Tijuca – RJ (Foto: Sylvia Wachsner)

O mercado de produtos orgânicos segue apresentando um forte potencial de crescimento no Brasil, o que vem chamando a atenção de grandes players da indústria. Apesar desse cenário favorável, a expansão ainda esbarra em desafios para uma produção em larga escala.

Considerando a produção agrícola e o varejo, somente no ano passado, o segmento orgânico movimentou R$ 3 bilhões no país. Segundo o diretor do Conselho Brasileiro da Produção Orgânica e Sustentável (Organis Brasil), Ming Liu, a previsão para 2017 é chegar a R$ 3.7 bilhões, o que representaria uma alta de até 25% em relação ao ano anterior.

Essa estimativa de crescimento se deve a uma série de fatores, começando pelas fusões e aquisições que têm movimentado esse mercado nos últimos meses, como a compra da empresa de produtos orgânicos e naturais Mãe Terra pela gigante Unilever. A compra já foi aprovada, no último dia 11, pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE). “Quando grandes empresas começam a entrar no mercado, aumenta a oferta de produtos e o acesso do público, o que promove o crescimento de toda a cadeia”, afirmou Ming Liu.

O diretor do Organis Brasil destaca ainda o crescente número de feiras que vendem alimentos orgânicos. De acordo com o Mapa de Feiras Livres do Instituto de Defesa do Consumidor (IDEC), atualizado no mês de setembro, são quase 650 pontos de venda no país. “O consumidor busca rastreabilidade, quer saber a origem de seu alimento e quer ter a garantia de que o produto é saudável”, afirma Liu.

Uma pesquisa recente encomendada pela Organis mostrou que, para 41% dos consumidores, o preço é um limitador para finalizar a compra de algum tipo de produto orgânico. Diante disso, segundo Sylvia Wachsner, coordenadora do Centro de Inteligência em Orgânicos (CI Orgânicos), da Sociedade Nacional de Agricultura (SNA), o consumidor tem buscado nas feiras e nos serviços de entrega de cestas em domicílio, opções mais baratas. “O varejo trabalha com margens muito elevadas, o que prejudica a venda”, explica. “Também é preciso que as redes façam parcerias com os produtores para fomentar o cultivo de orgânicos”, acrescentou Sylvia.

Potencial de crescimento

Desde 2009, Pedro Paulo Diniz, proprietário da Fazenda da Toca, se dedica à produção de orgânicos em Itirapina (SP) e defende um esforço coletivo para tornar os produtos mais acessíveis. “Com certeza o preço é uma barreira ao consumidor, mas acredito que dá para produzir de forma competitiva e com preço acessível, se houver uma parceria entre produtores e varejistas”, afirma Diniz.

O proprietário da Fazenda da Toca também estima um crescimento de mais de 20% neste ano. “A produção de alimentos orgânicos no Brasil tem um potencial enorme, uma vez que ocupa menos de 1% da área de agricultura do país e tem uma grande possibilidade de melhorar sua estrutura”.

Mesmo com essa perspectiva positiva, o setor ainda encontra uma série de dificuldades para consolidar sua expansão. “Este ainda é um mercado em construção”, é o que afirma a coordenadora do CI Orgânicos. Na pecuária, por exemplo, a produção de grãos orgânicos é um entrave para a criação de animais, sejam bovinos, aves ou suínos. Essa escassez na oferta pesa, em especial, para as aves, que dependem muito dos grãos para a alimentação. “Temos frango caipira e sustentável, mas o orgânico mesmo são poucas as opções e o valor para o consumidor é alto”, destaca Sylvia. Para ela, o mesmo vale para a produção de leite orgânico. E, alerta ainda, em relação a produção de frutas, para a falta de escala na produção. “No Sul do País, algumas cooperativas já têm produção suficiente e, inclusive, fabricam sucos orgânicos, mas essa ainda não é a maioria do mercado”, afirma.

Sylvia ainda critica o cadastro de produtores do Ministério da Agricultura (MAPA). “Temos a estimativa de que a área cultivada seja de 1 milhão de hectares e 15.000 unidades de produção no país, mas não temos certeza, já que o cadastro não exige esse tipo de informação do produtor que é fundamental para definirmos estratégias”, disse.

Fonte: DCI – Diário do Comércio, Indústria & Serviços

Veja outras matérias similares:

Coordenadora do CI Orgânicos fala sobre os desafios da produção orgânica

Alimentos orgânicos enfrentam problema de escala devido ao valor elevado

“Não podemos ter apenas uma visão econômica, temos que ter também responsabilidade social e ambiental”, afirma Emerson Giacomelli

Deixe o seu Comentário:

Boletim CI Orgânicos

 

Cadastre seu nome e email, para receber nosso boletim mensal por email.

 

Assine o boletim CI Orgânicos

 

outras seções